Anticoncepcional para Lactante, qual a Indicação


Queremos falar para você sobre Anticoncepcional para Lactante, este que é um tema que gera muitos questionamentos e insegurança, até porque nenhuma mulher vai querer arriscar uma nova gestação já em seguida, não é mesmo?

É por isso que depois de voltar a atividade sexual, além de buscar todas as orientações médicas e segui-las a risca, é importante que a mulher esteja atenta e inteirada de tudo o que puder sobre os possíveis métodos contraceptivos enquanto amamenta seu filhote.

Bom, e para começar é necessário saber que nem todos os contraceptivos são liberados para mães que estão amamentando, pois afinal de contas, estes são à base de hormônios, e estes podem ser altamente prejudiciais ao bebê.

Progesterona deve ser o princípio Ativo

Bom, os contraceptivos indicados são aqueles à base de progesterona, e somente esse, e nunca os que combinam 2 hormônios. Com 1 só o efeito fica mais fraco, no entanto mesmo assim, é seguro na proteção contra uma gravidez e não prejudica tanto seu bebê.

Entre as pílulas mais indicadas, podemos citar uma que é bastante recomendada que é a Cerazette, que é de uso contínuo.

A fase da Amamentação

Faz-se necessário comentar de que a amamentação em si, pode ser um método contraceptivo, somente em caso onde o bebê se alimenta exclusivamente do leite materno, mamando várias vezes ao dia, o que fará com que a ovulação não aconteça.

Mas, quando o bebê começa a diminuir as mamadas e introduzir outros alimentos na sua alimentação diária, a amamentação já não será mais um contraceptivo seguro. 

No entanto, existem muitos casos, em que mesmo amamentando a mulher já engravidou, é por isso que geralmente os médicos indicam algum tipo de contraceptivo para evitar transtornos indesejados.

Na fase da amamentação o uso de anticoncepcional deve ser somente à base de progesterona sintética.

O corpo feminino, por natureza já produz esse hormônio, sendo assim ao mesmo tempo em que o contraceptivo evita uma gravidez indesejada, também dá suporte a produção de leite pelo tempo que for necessário.

A pílula de um hormônio só conhecida como mini pílula deve ser iniciada ao uso 60 dias após o parto.

Outra coisa importante, é que aconselha-se manter relações sexuais somente 15 dias após o início do uso da mini pílula. se acontecerem antes deste prazo, poderá resultar numa gravidez inesperada.

Importante: Esses contraceptivos não devem ser usados pelo período de até 6 semanas após o parto, devido aos riscos de tromboembolismo venoso. Isso porque tanto a pílula quanto a própria gestação alteram o processo de coagulação do sangue.

É necessário ter consciência de que essa pílula também exige uso diário e no mesmo horário sempre, para que seja realmente efetiva. Outra coisa é que uma cartela deve ser tomada sempre em seguida da outra sem intervalos.

Pílula Anticoncepcional Cerazette

Como já comentamos, este é um contraceptivo que traz como princípio ativo o progestágeno isolado desogestrel, e é de uso contínuo.

Normalmente a menstruação irá aparecer a partir da 4ª semana de uso do anticoncepcional.

Anticoncepcional Micronor

Com uma dosagem muito baixa de hormônio, este contraceptivo tem indicação para mulheres que tiveram bebê a pouco tempo e estão voltando a ativa.

Este tem o mesmo poder do Cerazette e é usado da mesma maneira.

Anticoncepcional Minipil

Também com fórmula à base de progesterona, este é um contraceptivo eficiente e de baixo curto.

Diferente dos outros 2 acima citados, este deve ser administrado com intervalo de 7 dias entre uma cartela e outra.

Injetável Depo Provera

E por fim, temos um contraceptivo injetável com ação prolongada de 3 meses, que também é à base de progesterona. E é especialmente indicado para mulheres que estão em fase de amamentação.

Acho necessário dizer que toda mãe deve ter a consciência necessária para não sair por ai tomando qualquer medicamento, sem uma devida orientação médica, pois afinal de contas, qualquer coisa errada poderá afetar o bebê e além de tudo ainda secar o leite, por isso deve haver extremo cuidado.

Possíveis efeitos do contraceptivo na amamentação

A indicação da pílula na gravidez é só com o fim de evitar uma gravidez. Mas essa pílula de uso contínuo, existem possibilidades como:

  • Diminuição do leite materno
  • Inibição da menstruação, ou pequenos sangramentos várias vezes ao mês
  • Aconteça a retenção de líquidos

Outros métodos contraceptivos

Para mulheres que mesmo assim resistem o uso de mini pílula contraceptiva, existem outros métodos como:

  • DIU com ou sem hormônios
  • Injeção de Projesterona
  • Preservativo
  • Anel vaginal/diafragma ou implante

Obs.: Preste atenção nisso: coito interrompido e a conhecida tabelinha, não funcionam como métodos contraceptivos efetivos, e podem resultar numa gravidez inesperada.

Entre os prós e contras podemos dizer que a pílula à base de progesterona pode trazer o tão temido aumento de peso e um dos mais comuns efeitos colaterais que é o chamado ‘escape’, o que pode acontecer com qualquer pílula à base de progesterona.

Então é isso, agora você já está apar deste assunto tão duvidoso que é a questão do Anticoncepcional para Lactante, tomar ou não tomar, e o que tomar. Certo? Todo cuidado é pouco e toda mãe precisa ser extremamente consciente para não prejudicar seu filhote.

Importante: Nunca queira usar o anticoncepcional indicado por alguém que não o médico.